Home
Por todos nós!!! LAR PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Iniciamos a nossa actividade em 1997, e logo tivemos a visão de prestar o serviço de apoio domiciliário aos nossos utentes. Verificou-se de imediato que era uma boa opção pelos benefícios que proporcionava às famílias. Os anos vão decorrendo e cada vez mais o serviço que prestamos nas freguesias de Vale de Figueira, S. Vicente do Paúl é mais exigente, mais necessário e mais qualificado, sendo por isso uma mais valia para as pessoas. Todavia existem situações em que o apoio domiciliário não responde às necessidades objectivas, pelo que ao longo do tempo sempre fomos candidatos a um LAR que servisse as populações vizinhas e em caso de necessidade o concelho de Santarem. Vamos agora nestes tempos difíceis ao fim de 3 candidaturas, ter acesso à construção do LAR, assinando no próximo dia 9 (4ª feira) o termo de aceitação numa cerimónia nacional, a levar a efeito na Câmara Municipal de Matosinhos com a presença da Sra Ministra do Trabalho e Solidariedade Social. Estamos a partir é numa situação de desigualdade diferenciada nada motivadora nos financiamentos ao Programa na Tipologia 6.12 do POPH - Apoio ao Investimento a Respostas Integradas de Apoio Social (60%), face a outras candidaturas para as mesmas estruturas posteriormente lançadas noutros PO (70%), e nas alterações verificadas no Memorando de Entendimento entre o Governo da República Portuguesa e a Associação Nacional de Municípios Portugueses para Promover a Execução dos Investimentos de Iniciativa Municipal no âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional 2007-2013, que contempla o aumento das taxas de co-financiamento para (80%) no âmbito dos Programas Operacionais Regionais, para as mesmas estuturas sociais. Temos a certeza do bom senso existente nas entidades competentes, na capacidade de de analise por parte dos Gestores dos PO´s no sentido de harmonizar os critérios dos financiamentos atribuidos, quer no ambito do anteriormente exposto, quer nas majorações (+10%) atribuidas posteriormente no PARES que totalizou (70%). Salientamos que os custos aumentaram face às exigências actuais e, o acréscimo substancial na implementação do AVAC. A sociedade civil e em especial as IPSS´s respondem às preocupações de empregabilidade com a criação de postos de trabalho, e ao empreendedorismo com investimentos inovadores na área social e não só. A.Silva
 

Parcerias

Crédito Agricula Alcanhões

 

EDP

 

Empreendedorismo

 

DGS